Tag Archives: Artikel

Verbos transitivos, nominativo e acusativo – transitive Verrbe, Nominativ un Akkusativ

Assim como o alemão padrão, o hunsriqueano riograndense também possui casos gramaticais. O alemão, no entanto, possui 4 casos: nominativo, acusativo, dativo e genitivo. O hunsriqueano riograndense possui apenas três: nominativo, acusativo e dativo.

Aqui veremos o caso nominativo e o caso acusativo do hunsriqueano riograndense.

O Nominativo – De Nominativ

O caso nominativo, como de costume, é o caso “de base”, aquele que encontramos em dicionários, considerado a forma básica de uma palavra. Ele representa o sujeito de uma sentença ou qualquer predicativo. Assim, o sujeito ou qualquer termo que caracterize o sujeito se encontra no caso nominativo.

De Mann is en Bauer. – O homem é um fazendeiro.
De Mann (o homem) é o sujeito frase, portanto se encontra no nominativo. En Bauer (um fazendeiro) é um predicativo nominal, um atributo que descreve o homem, portanto também se encontra no nominativo.

O que identifica o caso de um substantivo em hunsriqueano riograndense é o artigo que o acompanha. O substantivo em si permanece inalterado, independentemente de qual for o caso gramatical em que ele se encontra.

Os artigos do caso nominativo são aqueles que já vimos:
Definidos: masculino där/de, feminino die, neutro das, plural die
Indefinidos: masculino en, feminino en, neutro en

Antes de falarmos do acusativo, vamos apresentar mais alguns verbos.

Verbos transitivos – transitive Verrbe

Verbos transitivos são aqueles que necessitam de um objeto, ou seja, são verbos que não demonstram apenas uma ação do sujeito, mas uma ação aplicada sobre algo. Abaixo uma tabela de alguns verbos transitivos regulares básicos terminados em -e:

mache (fazer) esse (comer) drinke (beber) kaafe (comprar)
ich mache esse drinke kaafe
du machst esst* drinkst kaafst
er, sie, es machd essd drinkd kaafd
meer mache esse drinke kaafe
deer machd essd drinkd kaafd
sie mache esse drinke kaafe

(*Caso um verbo regular tenha a raiz terminada em S, acrescenta-se apenas um T na segunda pessoa do singular em vez de um ST.  Afinal, convenhamos, escrever essst seria bizarro!)

Além destes verbos, vamos ver aqui mais alguns verbos transitivos regulares de outra categoria, os terminados em -n no infinitivo. A conjugação destes verbos é semelhante a dos terminados em -e, com a diferença de que nestes verbos, a terminação -e é trocada por -n simplesmente. Simples, não? As terminações -st-d continuam inalteradas.

hon (ter) sihn (ver) krien (ganhar) draan (carregar)
ich hon sihn krien draan
du host sihst kriest draast
äer, sie, es hod sihd kried draad
meer hon sihn krien draan
deer hod sihd kried draad
sie hon sihn krien draan

O acusativo – De Akkusativ

O uso básico do caso acusativo em todas as línguas que o possuem é servir de objeto direto. No hunsriqueano riograndense não é diferente.

Die Fraa essd en Eppel. – A mulher come uma maçã.
Die Fraa (a mulher) é o sujeito da frase, portanto se encontra no nominativo. En Eppel (uma maçã) é o objeto direto. É sobre a maçã que recai a ação de comer, realizada pela mulher.

Compare a tabela a seguir com os artigos definidos e indefinidos no nominativo e no acusativo:

Definido Indefinido
Nominativo Acusativo Nominativo Acusativo
Masculino där, de där, de en en
Feminino die die en en
Neutro das das en en
Plural die die

Como é possível perceber, os artigos do acusativo são exatamente os mesmos do nominativo para todas os gêneros! Por essa vocês não esperavam, não é? O sistema é mais simples que o do alemão. Mesmo assim, é importante saber a diferença entre os dois! Mais à frente saberão por quê. No momento, vamos ver algumas sentenças.

Ich mache en Bolo. – Eu faço um bolo.
Die Kinner esse Epple. – As crianças comem maçãs.
Die Menner drinke Bier. – Os homens bebem cerveja.
Du kaafst en Buch. – Tu compras um livro.
Meer hon en Hund. – Nós temos um cachorro.
Deer sihd das Medche. – Vocês veem a menina.
Sie kried en Brief. – Ela ganha uma carta.
Sie krien Blume. – Eles/elas ganham flores.
Er draad die Katz. – Ele carrega o gato.

Pronomes Pessoas no acusativo – Përsonalpronome im Akkusativ

É aqui que o acusativo se manifesta de maneira diferente do nominativo. No português é basicamente a mesma coisa. Podemos considerar que me é o acusativo de eu, certo?

Veja a seguir a tabela dos pronomes pessoais no nominativo e no acusativo:

Nominativo Acusativo
ich mich
du dich
er ihn, en*
sie sie/ihns**, se*
es es, ‘s*
meer uns
deer eich
sie sie, se

*As formas da terceira pessoa ihn, sie ou ihns, es são usada apenas quando se quer demonstrar ênfase. En /n̩/, se /sə/ e s /s/ são as formas mais comuns. A forma neutra é escrita conectada à palavra que a precede.

**O acusativo da terceira pessoa no feminino, quando enfático, pode ser sie, igual ao nominativo, como ocorre também no alemão padrão. Contudo, é comum usar-se também uma forma alternativa, ihns, exclusiva do acusativo.

Algumas sentenças de exemplo:

Du sihst mich. – Tu me vês.
Ich sihn dich. – Eu te vejo.
De Mann draad sie. – O homem a/os/as carrega.
De Mann draad se. – O homem a/os/as carrega.
Du kaafst es. – Você o compra.
Du kaafst‘s. – Você o compra.
Die Fraa machd ihn. – A mulher o faz.
Die Fraa machd en. – A mulher o faz.
Deer sihd uns. – Vocês nos veem.
Meer sihn eich. – Nós vos vemos. Nós vemos vocês.

Nota:
A partir de agora, o vocabulário novo de cada lição é adicionado ao dicionário disponível aqui no blog. Procure por ele nas páginas (no topo ou ao lado, dependendo do layout usado no momento).

Advertisements

1 Comment

Filed under Gramática

O plural – De Plural

Agora que já vimos os três gêneros do hunsriqueano riograndense e seus respectivos artigos, podemos partir para o plural.

Assim como no alemão, os três gêneros do hunsriqueano riograndense são indistintos, comportando-se como se fossem um gênero só. O artigo definido do plural é die.

de Mann > die Menner
die Fraa > die Fraae
das Kind > die Kinner

Devido a isso, quando levamos em conta questões de declinação, podemos considerar o hunsriqueano riograndense como apresentando quatro gêneros: masculino, feminino, neutro e plural.

Passando os substantivos para o plural – Die Substantive in de Plural dun

A regra para passar um substantivo do singular para o plural é: caos, não há uma regra específica!

Sim, é similar ao que vemos com o alemão. Não existe nenhuma maneira de saber ao certo, apenas pela palavra, como sua forma no plural será. Mesmo assim, veremos os tipos de mudanças que podem acontecer:

1. Não ocorre mudança: a forma no singular e no plural é a mesma. Essa (falta de) mudança é comum em substantivos masculinos e neutros e praticamente inexistente em substantivos femininos:
das Been > die Been (perna, pernas)
das Zeich > die Zeich (roupa, roupas)
das Wachs > die Wachs (cera, ceras)
de Bauer > die Bauer (fazendeiro, fazendeiros)
de Wind > die Wind (vento, ventos)
die Familie > die Familie (família, famílias)

2. Acrescenta-se uma terminação -e. Essa mudança é comum em substantivos femininos, sendo na verdade a regra para a grande maioria deles, e é pouco frequente em substantivos masculinos e neutros, mas não completamente inexistente:
die Fraa > die Fraae (mulher, mulheres)
die Katz > die Katz(gato, gatos)
die Äerd > die Äerde (terra, terras)
die
Beer > die Beer(“berry”, “berries”)
de Aff > die Affe (macaco, macacos)
das Bapier > die Bapier(papel, papéis)
Obs.: Se a palavra terminar em -er ou -el precedido de qualquer letra que não E ou I, o acréscimo do -e final remove o -e anterior:
die Sicheldie Sichle (foice, foices)
die Schwesderdie Schwesdre (irmã, irmãs)

3. Acrescenta-se uma terminação -er. Essa mudança é encontrada somente em substantivos neutros.
das Kind > die Kinner (criança, crianças)
das Bett > die Better (cama, camas)
das Eu > die Euer (ovo, ovos)
das Bild > die Bilder (figura, figuras)

4. Ocorre o fenômeno de Umlaut: a vogal na raiz da palavra é alterada para uma vogal anterior. Se a vogal for O, vai sempre ser alterada para E; se for U, sempre para I… Agora se ela for A, pode se tornar E ou Ä, sendo que Ä ocorre caso o A seja seguido de um R mudo… O ditongo AU também muda para EI. Não ocorre em substantivos neutros.
de Baam > die Beem (árvore, árvores)
de Fatter > die Fetter (pai, pais)
de Gaarte > die Gäärte (jardim, jardins)
de Zugh > die Zigh (trem, trens)
die Mutter > die Mitter (mãe, mães)
die Brust > die Brist (peito, peitos)
die Braut > die Breit (noiva, noivas)

5. Umlaut + acréscimo de -er. É comum em substantivos masculinos e neutros e não ocorre em femininos.
de Mann > die Menner (homem, homens)
de Dach > die Decher (telhado, telhados)
das Buch > die Bicher (livro, livros)
das Daal > die Deeler (vale, vales)
das Glaas > die Gleeser (copo, copos)

6. Acrésimo de -s em algumas palavras emprestadas do português ou outras línguas.
das Auto > die Autos (carro, carros)
de Amigo > die Amigo(amigo, amigos)

7. A terminação -a é trocada por -e. É rara.
die Sojadie Soj(soja, sojas)
die Pilliadie Pilli(pilha, pilhas)

Algumas palavras possuem mais de uma forma possível para o plural, sendo uma mais conservadora, mas menos frequente, e outra mais comum. Exemplos:
de Aarem > die Äärem, Aarme (braço, braços)
die Wand > die Wend, Wanne (parede, paredes)
die Ax > die Ex, Axe (machado, machados)

Existem também alguns poucos plurais irregulares. As palavras mais comuns que os apresentam são:
das Blaatdie Bletter (folha, folhas)
das Raatdie Retter (roda, rodas)

Leave a comment

Filed under Gramática, Ortografia

Os gêneros – Die Geschlechter

Assim como o alemão padrão, o hunsriqueano riograndense possui três gêneros: masculino (männlich), feminino (weiblich) e neutro (sechlich).

Diferente do português, onde a maioria dos substantivos terminados em -o é masculina e terminados em -a é feminina, um padrão assim não pode ser percebido em hunsriqueano riograndense. A única maneira segura de identificar o gênero de um substantivo é através do artigo que o acompanha, da mesma maneira como ocorre no alemão padrão.

Vamos conhecer então os artigos:

Artigos definidos – bestimmde Artikel

Masculino: där /tɛː/ (forma enfática), de /tə/ (forma átona, mais frequente)
de Mann /tə man/- o homem
de Hund /tə hunt/ – o cão
de Leffel /tə ˈlefl̩/ – a colher

Feminino: die /tiː/ (forma enfática), die /ti/ (forma átona, não distinta na escrita)
die Fraa /ti fɾɔː/ – a mulher
die Katz /ti kʰat͡s/ – o gato
die Gawel /ti ˈkaʊ̯l̩/ – o garfo

Neutro: das /tas/ (forma enfática), das /tɐs~təs/ (forma átona, não distinta na escrita)
das Kind /tas kʰint/ – a criança
das Schof /tas ʃoːf/ – a ovelha
das Messer /tas ˈmesa/ – a faca

Artigos indefinidos – unbestimmde Artikel

Diferente do artigo definido, que possui uma forma para cada gênero, para o artigo indefinido, as três formas a princípio são iguais:
en Mann /n̩ man/ – um homem
en Fraa /n̩ fɾɔː/ – uma mulher
en Kind /n̩ kʰint/ – uma criança

Quando enfatizado, sua pronúncia torna-se /eːn/:
en Mann /eːn man/ – um homem
en Fraa /eːn fɾɔː/ – uma mulher
en Kind /eːn kʰint/ – uma criança

Pode-se saber o gênero de alguma outra forma? – Kam-ma das Geschlecht sonstwie wisse?

Mas então… nem mesmo uma pista para saber o gênero?

Bem, existem alguns casos em que o gênero pode ser definido, especialmente se for feminino! Todas as palavras terminadas com em <-ung>, <-erei> e <-heit> ou <-keit> são femininas:

ung: usado para substantivizar verbos. Corresponde a terminações como -ação, -agem e -mento do português.
die Bedeitung /ti pəˈtaɪ̯tuŋ/ – o significado. [a partir de bedeite /pəˈtaɪ̯tə/, significar]
die Deelung /ti ˈteːluŋ/ – a divisão, o compartilhamento. [a partir de deele /ˈteːlə/, dividir, compartilhar]
die Zehlung /ti ˈt͡seːluŋ/ – a contagem. [a partir de zehle /ˈt͡seːlə/, contar]

-erei: usado para indicar condições, situações ou locais. Corresponde a terminações como -aria, -ice, -ouro, -eira do português.
die Beckerei /ti pekəˈɾaɪ̯/ – a padaria. [a partir de Becker /ˈpeka/, padeiro; backe /ˈpakə/, assar]
die Brillerei /ti pɾiləˈɾaɪ̯/ – a choradeira. [a partir de brille /ˈpɾilə/, chorar]
die Schweinerei /ti ʃvaɪ̯nəˈɾaɪ̯/ – a porquice, a porcaria. [a partir de Schwein /ʃvaɪ̯n/, porco]

-heit/keit: usado para indicar características, substantivizando adjetivos. Corresponde a terminações como -(i)dade, -ez, -eza, -ice do português.
die Dummheit /ti ˈtumhaɪ̯t/ – a burrice, a estupidez. [a partir de dumm /tum/, idiota, burro, estúpido].
die Dunkelheit /ti ˈtuŋkl̩haɪ̯t/ – a escuridão. [a partir de dunkel /ˈtuŋkl̩/, escuro].
die Evichkeit /ti ˈeːviçkʰaɪ̯t/ – a eternidade. [a partir de evich /ˈeːviç/, eterno].

(Observação: alguns falantes substituem o ditongo /aɪ̯/ nesta terminação por /eː/, o que provavelmente reflete uma pronúncia mais próxima do original. Desta forma as palavras acima seriam grafadas Dummheet, Dunkelheet, Evichkeet).

Além disso, qualquer palavra com a terminação <-che>, usada para formar diminutivos, é neutra.
das Medche /tas ˈmeːtçə/ – a menina
das Feilche /tas ˈfaɪ̯lçə/ – a violeta
das Kaninche /tas kʰaˈniːnçə/ – o coelho

Exceto por esses casos, o gênero de praticamente qualquer outra palavra parece aleatório. Outras regras poderiam ser expostas, mas envolveriam extensas explicações gramaticais e etimológicas dos termos, o que não parece apropriado, ao menos no momento.

Para aqueles que sabem o alemão padrão, ou pelo menos possuem algum conhecimento do idioma, saber o gênero pode ser mais fácil, já que ele coincide para quase todas as palavras nos dois idiomas.

Leave a comment

Filed under Gramática