A ortografia do Hunsriqueano Riograndense segundo Boll, quinta parte

O problemático R

O fonema /r/ do hunsriqueano riograndense é com certeza o de comportamento mais instável se comparado, por exemplo, com o alemão padrão, especialmente no que se refere à sua pronúncia ao final de uma sílaba. Vamos tentar analisar seus diversos comportamentos a seguir.

R inicial

Ao iniciar uma palavra, a consoante R tende a ser pronunciada como um golpe (tap) alveolar [ɾ] (igual ao português caro ou espanhol pero) ou, mais frequentemente, como uma vibrante alveolar [r] (igual ao espanhol perro). Ele jamais é pronunciado de forma uvular como no alemão padrão. Exemplos: rot, Reis, richtich, Ratt.

O R pode ser o segundo ou terceiro fonema de uma palavra, ocorrendo após /p, t, k, f, ʃ/. Neste caso, a pronúncia é praticamente sempre como um golpe alveolar [ɾ], da mesma forma que as sequências de consoante + r no português. Exemplos: braun, Prëgiss, drei, Trepp, froh, schroh.

R intervocálico

Quando aparece entre duas vogais, R é pronunciado como um golpe alveolar [ɾ]. Exemplos: Karre, Uhre, keere

R final

Um R no final de uma palavra em hunsriqueano quase sempre faz parte da terminação átona <-er> que é pronunciada [ɐ], igual ao <-er> final no alemão padrão. Este som é ligeiramente mais fechado que um [a], igual ao som do A no final de uma palavra em português, como em casa. Exemplos: anner, Dokter, Zimmer, besser

Quando precedido por um A longo, um R final não é pronunciado. Exemplos: waar, Paar, gaar

Quando precedido por qualquer outra vogal longa, o R é pronunciado [ɐ] também e grafado <er>. Exemplos: Deer, Dier, puer, Hoer

Quando precedido por um E curto, a pronúncia do R varia, podendo ser um [ɐ] ou um [r]. Isso é refletido na escrita da seguinte forma:
1. E curto + [ɐ]: Grafado <-äer> na maioria das palavras. Exemplos: Bäer, läer, Schäer
Exceções: där, er, her. wer
2. E curto + [r]: Grafado <-err>. Exemplos: Herr, derr, Gescherr

Quando precedido de um O curto, a pronúncia é [ɐ]. Essa sequência ocorre apenas na palavra for e seu uso como partícula. Exemplos: for, defor, forgester, Forhang

Em palavras recentes emprestadas do português, o R pode ser pronunciado como no original. Exemplos: Abaschur, Autor, rëgular

Quando o R é seguido por uma consoante, sua pronúncia varia dependendo de que tipo de consoante o segue.

1. R antes de consoantes coronais /t, t͡s, ʃ, l, n/ não é pronunciado. Exemplos: hart, schwarz, Aarsch, Kaarl, Werter, Kersch, Bern, Wort, korz, Dorn

2. R antes de labiais /p, f, v, m/, um schwa é inserido entre as duas consoantes, criando uma sílaba extra e tornando o R intervocálico e, portanto, pronunciado como [ɾ]. Este schwa desaparece caso uma terminação vocálica seja acrescentada à palavra, fazendo o R se tornar final e pronunciado [r] ou [ɾ].
Exemplos: Forreb/Forrve, schaaref/schäärfer, Scherrem/Scherrme

3. R antes de dorsais /k, ç/, um /i/ é inserido entre as duas consoantes, criando uma sílaba extra e tornando o R intervocálico como no caso anterior. Este /i/ desaparece caso uma terminação vocálica seja acrescentada à palavra apenas nos casos de /k/, permanecendo nos casos de /ç/, visto que essa consoante não pode ocorrer após outra consoante (exceto no sufixo diminutivo -che). Exemplos: staarik/stäärker, Kerrich/Kerriche

Observação: para alguns falantes, as sequências <-errich> e <-orrich> são pronunciadas sem o R, criando ditongos /ɛɪ̯ç/ e /ɔɪ̯ç/, respectivamente, podendo ser grafados como <-äich> e <-euch>. Exemplo: Kerrich ou Käich, dorrich ou deuch.